TI e RH andando juntos

Como fazer para nos mantermos competitivos na economia atual, na era do conhecimento? A tecnologia é onipresente, mesmo nos mercados ainda nascentes, temos acesso instantâneo a informações e pessoas. De forma crescente, as empresas utilizam tecnologia como base para seus negócios – estudos apontam que mais da metade dos investimentos das empresas tem relação com tecnologia. E no caso de Recursos Humanos, a tecnologia ajuda em todos os processos, desde o recrutamento ao desligamento do profissional. E mudou drasticamente a forma como os colaboradores tem acesso aos dados do RH.

No entanto, ainda é um grande desafio enxergar a tecnologia como um meio de conectar pessoas em vez de afastá-las. A atuação conjunta de RH e TI vem sendo considerado elemento chave nas empresas por trazer o foco aos ativos mais importantes da organização: as pessoas.

TI e seu impacto nas funções de RH.

Vale olharmos para algumas tendências em tecnologias que podem impactar as práticas de RH. Gestores inteligentes serão capazes de antever estas mudanças e se adaptarem rapidamente. Os impactos de TI na gestão de pessoas pode se dar em diversas frentes, tais como:

  • Recrutamento e Seleção
  • Treinamento e Desenvolvimento (T&D)
  • Gestão de Desempenho
  • Carreira e Sucessão
  • Gestão de benefícios
  • Folha de pagamento e Planejamento de Pessoal

Recrutamento costuma ser um subsistema oneroso em termos de trabalho operacional. E as tecnologias de e-recrutamento baseadas na web estão disponíveis no mercado para apoiar e acelerar este processo. A maioria delas já se integra às principais redes sociais e podem se integrar a bases de currículos de terceiros, ampliando as possibilidades de buscas e filtros. Além disto, uma boa porta de entrada para o cadastro dos futuros colaboradores faz uma diferença e tanto, sobretudo se permitir a integração com LinkedIn ou outras bases de currículos, facilitando a vida do candidato ao evitar que ele repita todos os dados de formulários para se cadastrar para uma nova vaga. As principais vantagens das ferramentas de e-recrutamento são:

  • É uma maneira bastante econômica de publicar vagas de emprego
  • Permite um alcance muito maior
  • Facilita a conexão com pessoas, redes sociais e outras bases de dados de currículos
  • Oferece ferramentas para o gestor da vaga gerenciar os currículos selecionados, agendar entrevistas, ver o histórico de outros processos seletivos do candidato, analisar as melhores fontes de currículos, etc.
  • Acesso 24×7 aos dados

Quando se fala em T&D, o link mais claro de RH com TI são as ferramentas de e-learning. Desde o final da década de 90, o e-learning passou a fazer parte do dia a dia da maioria das empresas no mundo que desejam redução de custos de treinamento, atingir um público disperso e permitir que os colaboradores aprendam de forma independente e no seu próprio ritmo, em qualquer local e horário.

As metodologias relacionadas ao e-learning evoluíram bastante, permitindo a aplicação de métodos mais rebuscados de interatividade e pedagogia. Isto permitiu a retomada da credibilidade do e-learning, que ficou muito danificada no início dos anos 2000 com a explosão dos cursos de prateleira.

As plataformas de T&D evoluíram do simples conceito de e-learning para a ideia de gestão de treinamento corporativo, permitindo o planejamento de longo prazo de treinamento, desenvolvimento de competências, a integração com ferramentas de gestão de desempenho, o planejamento de carreira e sucessão, o alinhamento estratégico e a análise de cenários de investimentos no desenvolvimento de pessoas.

No caso de gestão de benefícios, o uso de ferramentas de ESS (Employee Self Service) tem permitido aos gestores oferecer um pacote de benefícios ao mesmo tempo justo, adequado ao planejamento financeiro e personalizado, minimizando diferenças pessoais com relação à escolha dos benefícios e aumentando a satisfação média. Por sinal, o conceito de self-service aplicado aos serviços de RH em geral traz um ganho operacional significativo. E a obtenção disto sem o uso de TI é quase impraticável.

A organização virtual

Já faz tempo não é incomum que o colaborador seja capaz de trabalhar de qualquer lugar, bastando para isto ter acesso à internet e algum dispositivo computacional, quer seja um computador ou mesmo um smartphone. Neste cenário, a participação do RH é fundamental.

Numa organização onde as pessoas nem sequer possuem suas próprias mesas no escritório, por exemplo, cabe ao RH integrar psicologicamente as pessoas, gerenciar os relacionamentos entre a estrutura organizacional e cada indivíduo, alinhando a visão, missão, valores e objetivos entre empresa e colaboradores. Em última instância, apoiar o engajamento dos colaboradores, que cada vez menos possuem o sentimento de pertencimento ao ambiente da empresa.

Enfim, o que se vê no mercado é uma luta diária para equilibrar custos e investimentos com o retorno de investimento esperado. RH é uma função vital e cada vez mais reconhecida, mas sofre por constrições de recursos e investimentos. TI, por outro lado, recebe uma parte significativa dos investimentos das empresas, mas é tremendamente pressionada para o cumprimento de metas e obtenção de retorno sobre o investimento. Ambas, entretanto, são direcionadores para a aquisição de vantagens competitivas e, se trabalhadas em conjunto, trazem benefícios significativos para os negócios. Cabe ao gestor de RH ficar atento às tendências tecnológicas. E ao gestor de TI ouvir cuidadosamente as demandas de RH.

0 interações

Deixe seu comentário

Quer compartilhar suas ideias?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *