Grafologia – Ferramenta parceira do RH

A Grafologia analisa, estuda e interpreta o caráter e o temperamento das pessoas e além das suas diversas áreas de atuação, vem sendo utilizada crescentemente em RH, diante de sua aplicabilidade para seleção e desenvolvimento de pessoas.

Considerando a seleção a mais eficaz ferramenta para alimentar a Empresa com candidatos aptos, a identificação do profissional e a definição de perfis adequados contribuem na busca pelo prognóstico favorável de desenvolvimento. Desta forma, a Grafologia assume papel de poderoso instrumento, identificando com alto grau de fidedignidade as competências mais indicadas para os cargos em questão, tanto em áreas operacionais, comerciais e até mesmo oportunidade em áreas mais estratégicas.

Utilizada como instrumento complementar para enriquecer também o processo de desenvolvimento de pessoas na organização, a Grafologia vem aperfeiçoar as técnicas dos Recursos Humanos da empresa acarretando credibilidade e eficácia e permitindo a avaliação de potencial; identificação das competências a desenvolver; agilidade no processo e segurança na tomada de decisão.

Na busca pelo contínuo desenvolvimento, o investimento da Empresa envolve a identificação do profissional e a definição de perfis adequados. Neste momento, a Grafologia se destaca como ferramenta fundamental nos processos organizacionais, mapeando competências e considerando sua probabilidade de acerto entre 90 / 95% em seus resultados.

O universo de características observadas é amplo, e a análise da escrita nos apresenta todas as que desejarmos conhecer, basta que o grafólogo tenha em seu objetivo o que deve identificar. As competências comportamentais como a iniciativa, foco em resultado e relacionamento interpessoal têm sido as mais comumente apresentadas para avaliação de acordo com as réguas de competências das empresas e competências comportamentais definidas pela área, que também solicitam avaliar em seus processos: Liderança; Gerenciamento de tempo; Relacionamento; Iniciativa; Capacidade de negociação; Equilíbrio emocional; Empreendedorismo; Pró-atividade; Criatividade; Sentido de oportunidade, etc.

A avaliação de questões de caráter, como dissimulação, desonestidade também são crescentemente solicitadas pelas empresas na realização do perfil. Há ainda aquelas competências que, por mais que sejam condições para a contratação podem ser trabalhadas e desenvolvidas, e quando comparadas ao contexto analisado são admitidas em função da possibilidade de investimento no colaborador.

Ainda que se tenha conhecimento dos estudos e aspectos analisados pela Grafologia, o candidato pode tentar “controlar-se” para escrever de acordo com os aspectos gráficos que julga mais conveniente, porém fica nítida para o grafólogo a tentativa do avaliando de mostrar-se diferente do real. Considerando que no primeiro momento o consciente escreve e depois o inconsciente dita, neste instante não temos mais controle sobre a escrita, que é um ato cerebral.

0 interações

Deixe seu comentário

Quer compartilhar suas ideias?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *