Empregabilidade em momentos de crise

Mais um dia de trabalho para a maioria das pessoas no escritório, menos para Cristina que, em cinco minutos, será chamada na sala do seu chefe e escutará o discurso que muitos têm escutado ultimamente: “o País está em crise, precisamos reduzir custos e, infelizmente, teremos que demiti-la”.

Este cenário vem se repetindo com constância em muitas organizações e representa a triste realidade em que nos encontramos hoje.

Algumas empresas têm conseguido se reestruturar, negociando a redução de carga horária com os funcionários e abolindo benefícios espontâneos como gratificações, bônus, cestas básicas, justamente para não demitir o seu pessoal, mas a maioria tem buscado na demissão em massa uma forma rápida de reduzir os custos e pagar as dívidas.

Em virtude deste cenário, como manter a empregabilidade em momentos de crise? Ou ainda, como buscar uma recolocação na atual conjuntura socioeconômica?

Não existe fórmula mágica, mas é importante começarmos a praticar algumas ações desde já:

1) Rede de contatos

Já reparou que só atualizamos a nossa rede de contatos ou entramos em contato com um amigo que há anos não falamos quando precisamos dele? Rede de contatos tem que ser mantida periodicamente. Muitos profissionais bem empregados ingressaram nas empresas por indicação de um amigo. O que no passado era visto com “maus olhos”, hoje a indicação é importante, sobretudo para as empresas, porque diminui o tempo e custo com contratação e aumenta as chances de selecionar a pessoa com o perfil adequado para o cargo. Portanto, ligue para os seus amigos e faça novos contatos periodicamente – não porque você espera algo deles, mas porque você deseja abrir sua mente para novas possibilidades. Este pequeno gesto poderá lhe trazer grandes resultados no futuro.

2) Deixe sua marca em qualquer lugar em que tenha atuado ou atue. Faça um trabalho extraordinário e não se contente com nada menos do que a excelência.

É fundamental que as pessoas se lembrem de você como um profissional agregador, eficiente, assertivo, comprometido, solucionador de problemas, inovador e criativo – competências essas exigidas atualmente no atual cenário mundial. Conheço muitos casos de profissionais que foram convidados por seus antigos chefes para ocuparem um determinado cargo ou voltarem para a empresa onde trabalhavam, pelo simples fato de terem deixado uma marca positiva do seu trabalho.

Muitas pessoas reclamam que não trabalham motivados porque recebem um baixo salário – mas por outro lado, não receberão um salário melhor se fizerem apenas o básico. Esta é a realidade do mercado empresarial. Portanto, seja o melhor em sua área de atuação e se pergunte diariamente como pode aprimorar o seu trabalho.

3) Busque o seu aperfeiçoamento continuamente

Para enfrentar as mudanças da melhor forma, o ideal é antecipar-se a ela. Para isso, é fundamental que busquemos o nosso aperfeiçoamento continuamente. No atual cenário de acirrada competição, estar preparado para uma nova oportunidade ou acredite, até mesmo para uma iminente demissão, é sine qua non. A preparação nos mantem serenos diante de uma adversidade e competitivos perante uma oportunidade.

O aprimoramento não deve acontecer apenas porque precisamos nos recolocar rapidamente ou galgar uma promoção. Ela deve acontecer, sobretudo, para crescermos como pessoa e como profissional. O resultado do nosso esforço é que pode gerar um aumento na empregabilidade ou um menor tempo parado em caso de demissão.

Mas para que isso aconteça de fato, precisamos ser “protagonistas” do nosso crescimento – e este papel não cabe às empresas, mas a nós. Faça cursos, estude e aumente a sua bagagem intelectual. Isto lhe dará mais segurança para enfrentar o mercado de trabalho.

4) Acredite que as boas oportunidades existem

Se colocar na cabeça que o mercado de trabalho está complicado e se sujeitar a aceitar um trabalho muito aquém da sua competência e conhecimento, acabará por se sentir ainda mais frustrado e desmotivado. Se, por outro lado, acreditar que somente o outro tem acesso às boas oportunidades na vida e que isto nunca irá acontecer com você porque não tem “sorte”, acabará desistindo de buscar algo melhor por ter a certeza de que não conseguirá. Boas oportunidades existem para pessoas que acreditam, que são perseverantes, que estão preparadas e que têm uma ótima rede de relacionamentos.

5) Não tenha vergonha de pedir ajuda

Muitas pessoas não pedem ajuda com receio de receber um “não”, mas não percebem que o “não” elas já possuem antes mesmo de pedir ajuda.

Talvez a pessoa que você nem imagina ou que esteja convencido de que não poderá lhe ajudar, será àquela capaz de contribuir de forma significativa em sua trajetória profissional.

Pedir a um amigo que dê uma analisada em seu currículo, que indique cursos de aperfeiçoamento ou até mesmo que lhe ajude a se recolocar no mercado não é vergonhoso. Mas a contrapartida também deve ocorrer. Se receber o currículo de um colega, buscando uma recolocação no mercado, procure dar mais atenção. Algumas vezes um simples repasse de e-mail ou um telefonema para um conhecido pode ajudar na recolocação profissional de uma pessoa.
Precisamos, sobretudo nos dias atuais, sermos mais solidários uns com os outros. Acredito que desta forma possamos fazer a diferença em nosso País.

0 interações

Deixe seu comentário

Quer compartilhar suas ideias?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *