D O E

Nós da área de humanas que lutamos para melhorar a qualidade de vida de indivíduos, nos deparamos no final do ano com a síndrome do renascimento, é a plena sensação que poderemos zerar tudo e ganhar um ano novinho de presente para nós, na verdade ganhamos, mas não é tão simples assim! Para o cérebro é um pouco mais complexo, do que um simples “desejo” passageiro de mudança.

 Em nossa rotina vemos claramente isso acontecer no tédio dos domingos e na euforia vazia e efêmera das sextas-feiras. Dentro de nós temos a ilusão inocente que poderemos redefinir todos nossos limites de tempo, escolhas, decisões e poderemos como num passe  de mágica mudar tudo por completo. Mas a euforia passa, o Natal, o Ano Novo, os domingos e as sextas-feiras…. A pergunta é: o que fazer?

Aqui vão algumas dicas de como usar nosso cérebro melhor e mais produtivamente em 2011.

A área de “tecnologia de ponta” de nosso cérebro é movida essencialmente por desejos e objetivos! A grande questão é que o desejo é muito efêmero e perde logo a força para o cérebro, por isso a importância de assim que detectarmos um desejo em nós, começarmos a transformá-lo em objetivo.

Vamos exemplificar:

1. DESEJO: Já temos o fator mais importante para nosso cérebro, o “desejo” ele é que faz nosso sino interno tocar.

2. OBJETIVO: É preciso urgentemente estabelecer um objetivo, uma meta alcançável a ser seguida como um ponto no horizonte a guiar nossos passos.

3. ESTRATÉGIA: Elaborar uma estratégia, um plano, uma seqüência de passos a serem seguidos para atingir o horizonte. (Na estratégia vale usar muito sua imaginação, feche os olhos e veja literalmente passo1, passo2, como vou estar?, o que isso significa para minha vida?, por que eu quero isso?

Você já reparou que tudo que é importante é escrito?(escritura da casa, documento do carro, hipoteca). Comece 2011 colocando tudo no papel, exatamente como um plano de negócios, leve a sério e verá os resultados!

Estabelecer objetivos é a função principal da parte mais refinada do cérebro, as partes mais frontais do cérebro, aquelas capazes de direcionar nossas ações em prol de um alvo mesmo que ainda não visualizável e desejável mentalmente. Na etapa seguinte é preciso que as ações repetitivas musculares e mentais (na forma de pensamentos) sejam selecionadas e organizadas em seqüências que nos levem ao objetivo. Após os movimentos certos são escolhidos e preparados para ser executados na ordem certa e na hora certa. Esse programa motor é a mola que chamamos de ESTRATÉGIA.

Bom, já sabemos a receita para não cairmos nas promessas vazias de fim de ano e segundas-feiras, só nos resta usá-las. Não basta termos um desejo, temos que trilhar os próximos passos para que nosso cérebro execute o que realmente queremos.

Um grande abraço e um excelente 2011 para vocês, com MUITO “DOE”.

P.S: Gravem essas iniciais e lembre delas todas as manhãs. “D”(desejo), “O”(objetivo) e “E”(estratégia): essa é a equação do sucesso!!!

0 interações

Deixe seu comentário

Quer compartilhar suas ideias?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *